Ribeirão Preto ocupa 19ª posição no país entre as cidades com maior número de carros nas ruas, aponta Confederação

Ribeirão Preto (SP) é a 19ª cidade do país com maior número de automóveis no país, segundo levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM). De acordo com os dados, são 294 mil carros em circulação, média de um veículo para cada dois moradores.
De acordo com a Federação Nacional dos Fabricantes de Automóveis (Fenabrave), no primeiro semestre deste ano foram realizados cerca de oito mil emplacamentos na cidade. Pelo levantamento, são pelo menos 46 novos carros por dia nas ruas.
O estado com maior número de carros é São Paulo. São 17,8 milhões, que correspondem a 33,47% do total no país, segundo dados da Confederação.
O número crescente de veículos em Ribeirão também reflete em vários pontos de congestionamento, que acontecem principalmente nos horários de pico, como na rotatória Amim Calil, e nos cruzamentos das avenidas Independência e Professor João Fiúsa, Presidente Vargas, e Castelo Branco com Presidente Kennedy.
Os motoristas que costumam passar por essas regiões afirmam que a sensação é que o trânsito piora a cada dia.
“O que se percebe é a falta de educação no trânsito. Há muitos carros nas ruas e não tem alternativa. Uso o veículo como ferramenta de trabalho e o transporte público e as vias deixam a desejar”, diz o professor João Batista.

Investimentos

Para o especialista em trânsito Luiz Gustavo Corrêa, ainda faltam investimentos em transporte público e em outros meios de locomoção para que haja uma diminuição da dependência do carro.
“Ribeirão Preto não possui uma faixa exclusiva de ônibus, o que traria mais agilidade para o transporte e não temos investimento em ciclovias. Uma cidade cheia de avenidas tem situações favoráveis para que se invista em mobilidade urbana e percebe-se que o poder público deixa de lado. Não entendo o motivo de não se investir maciçamente em transporte público e dar opção às pessoas, para que decidam se vão de carro, de bicicleta ou de ônibus.”
O vendedor Gabriel Marques Alves de Oliveira e a mulher têm dois carros e afirmam que seria difícil se locomoverem somente pelo transporte público.
“Nós gostaríamos de usar apenas um carro, isso diminuiria os gastos como seguro, pneus, mas nossos horários são diferentes e temos muitos compromissos. Para depender do transporte público, teríamos que mudar a rotina, sair de casa com duas horas de antecedência. Não é fácil pegar ônibus na cidade”, afirma Oliveira.

Prefeitura

Em nota, a Transerp informou que as obras da Prefeitura Municipal previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II) têm como prioridade o transporte coletivo. Serão instalados semáforos inteligentes e também corredores exclusivos e preferenciais para ônibus, além da construção de viadutos.
As obras com verbas do Governo Federal estão orçadas em R$ 310 milhões. A Transerp não informou, no entanto, uma previsão para a conclusão do pacote.
Fonte: G1